Na foto, uma alvéola-branca atrevida (Motacilla alba)

Quem pode alegar ter maior fama e elogio pela sua “fala” (i.e., comunicação acústica) que os pássaros canoros, com as suas lindas e complexas canções? Estas, que são um sinal claro da chegada da primavera, deliciam-nos e inspiram poesia e arte. Que espécies de aves conseguem identificar neste clip de áudio?

A maneira como estas aves constroem o seu repertório é através de aprendizagem vocal, uma habilidade que nós também temos. Significa que, durante toda a nossa vida, ouvimos sons, interiorizamo-los, e depois conseguimos reproduzi-los em contextos e situações específicas, provavelmente para sempre. Esta habilidade requer ligações especiais no cérebro, que existem nos nossos cérebros gigantes e nos mini-cérebros do passarinho mais pequeno. Mostra que o tamanho não vale de nada.

Curiosamente, nos pássaros canoros, apenas os machos têm a capacidade de aprender e cantar canções. Por isso, se hoje saírem e ouvirem aves a cantar por aí, certifiquem-se que tratam o artista por Senhor Pássaro. Se quiserem uma tradução, a letra da música será muito provavelmente “Oh dama de doce pena, para onde fosteis?” ou “Puto, sai do meu terreno.” Uma linda melodia, de qualquer forma.

Querem aprender mais sobre aprendizagem vocal?

Vale das Lobas está a caminhar em direcção a uma vida sustentável na Terra.

Subscrevam a nossa newsletter e sigam-nos nas redes sociais,

para sabererem em primeira mão tudo sobre as nossas atividades, atualizações e ideias!